No dia 08 de abril, o Sincabima recebeu 15 ofícios da FTIA PR (Federação dos Trabalhadores das Indústrias de Alimentação do Estado do Paraná) e de seus sindicatos afiliados (com exceção do STIP – Sindicato dos Trabalhadores de Curitiba e Região), informando sobre a parada nas negociações das CCTs, sob a inverídica justificativa de que teria havido desinteresse do sindicato patronal.

Diante desta lamentável situação, o Sincabima enviou uma resposta, tanto para a federação, quanto para as empresas e demais sindicatos, com o objetivo de esclarecer tais pontos e reforçar o posicionamento tomado por nosso sindicato desde o início das negociações.

Ao contrário do que foi dito pela FTIA PR (Federação dos Trabalhadores das Indústrias de Alimentação do Estado do Paraná) e de seus sindicatos afiliados (com exceção do STIP – Sindicato dos Trabalhadores de Curitiba e Região), o Sincabima esteve presente em todas as reuniões e tentou negociar as cláusulas alteradas pela reforma trabalhista em 2018, tendo encontrado uma forte e injustificada resistência por parte da federação.

Também é importante frisar que não indicamos que negociações sejam feitas diretamente com a federação, pois dessa forma todo o trabalho realizado pelo sindicato nestes anos perde força e credibilidade.

Desde já, nos colocamos à disposição para o esclarecimento de possíveis dúvidas a respeito do assunto, e agradecemos a compreensão e colaboração de todos.