Organizar documentos é fundamental para a qualidade e a segurança

documentsConheça algumas medidas que podem ajudar sua empresa

As indústrias de alimentos possuem várias legislações obrigatórias e são muitas as exigências de qualidade a serem atendidas. “Esses requisitos precisam ser organizados e documentados”, diz a consultora em alimentos Ana Paula Corrêa Cheriegate. Conheça algumas medidas que podem ajudar sua empresa nessa organização.

1 –  Faça uma lista das legislações do seu setor

No site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) há uma lista com as legislações para cada setor, inclusive para área de embalagens (http://portal.anvisa.gov.br/). Faça o download dessas legislações e mantenha-as atualizadas. Se sua empresa for regida pelo Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), você pode ser acesso aos documentos em http://www.agricultura.gov.br.

2 – Providencie os procedimentos exigidos

Toda indústria alimentícia precisa ter um manual de boas práticas e os documentos operacionais básicos, que podem ser chamados de POP (Anvisa) ou PPHO (MAPA). Eles precisam estar atualizados e disponíveis para uso e consulta na empresa, e devem retratar a realidade de cada organização. As indústrias também devem identificar todos os perigos provenientes das matérias-primas e processos e estabelecer medidas para controlá-los. A metodologia chamada APPCC – Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle deve ser usada para avaliar perigos químicos, físicos e microbiológicos e identificar todas as medidas de controle necessárias para reduzí-los os eliminá-los do processo. Assim, a empresa pode garantir um produto seguro ao consumidor.

3 – Registre as atividades executadas

As atividades descritas nos procedimentos precisam ser executadas e registradas. Esse registro deve ser feito logo após o término das atividades como uma evidência de que a atividade foi realmente realizada. Posteriormente, pode servir de consulta interna ou externa e como fonte para implementar as melhorias nos processos internos.

4 – Processo rastreável

A rastreabilidade é uma exigência da legislação. É uma atividade que exige registro contínuo de tudo que aconteceu antes, durante e depois do processamento dos produtos, e deve incluir todas as matérias-primas, ingredientes e embalagens que compõem o produto, além de indicar as intervenções de limpeza e manutenções. Isso ajuda a reconhecer, atuar nas falhas, agir na correção dos problemas e na melhoria dos processos. É uma garantia de confiança por parte dos funcionários e dos consumidores.

5 – Verifique seu processo

As auditorias, com planejamento prévio e auditores preparados, são um instrumento importante para constatar que um sistema de qualidade está funcionando e verificar se os processos estão sendo executados conforme seus documentos e as legislações do setor. Avaliar seu próprio processo também é útil para agir antes de os problemas acontecerem, medir a qualidade da execução e implementar as melhorias necessárias. Os clientes também podem auditar seus fornecedores para verificar se os produtos estão sendo produzidos com qualidade, e assim, diminuir falhas no processo, devoluções e perdas de produto.

Fonte: Agência FIEP: http://www.fiepr.org.br/boletins-setoriais/1/especial/News31762content343406.shtml

Palavra da Presidente

Uma alegria fazer coro com os meus antecessores na celebração dos 84 anos do Sincabima, no qual tenho a responsabilidade e privilégio de presidir neste mandato. Muitos são os desafios

Leia mais »

Eventos Agendados

Conheça as Vantagens e associe-se

Associe-se